[ editar artigo]

12 Razões para BAM

12 Razões para BAM

12 Razões para ter um negócio BAM foi retirado do Livreto: Negócio como Missões é algo maior do que você imagina de Mats Tunehag.

1. Os Negócios como Justiça:

Deus ama a justiça e odeia a injustiça. Deus enviou profetas de tempos em tempos, para falar contra a injustiça e reinvindicando mudança e correção.

A injustiça frequentemente se manifestou no mercado de trabalho: seja por corrupção, exploração no trabalho e abuso de pessoas vulneráveis como os imigrantes.

Buscar um negócio honesto e cuidar do empregado é um Negócio como Justiça. Tratar fregueses e fornecedores bem também é parte desta busca divina e honrada. Os Negócios como Justiçainclui lutar contra corrupção e suborno.

2. Os Negócios como Verdadeira Religião:

A verdadeira adoração é cuidar das viúvas e órfãos (Tiago 1:27). Esses são dois grupos vulneráveis que frequentemente são explorados no mercado de trabalho hoje.

Traficantes de humanos frequentemente tem como alvo crianças sozinhas. Circunstâncias e pessoas astutas podem forçar viúvas à prostituição.

Estas são realidades em muitas partes do mundo. Quem oferecerá um futuro a órfãos e viúvas; dar-lhes um trabalho com dignidade; para que então eles possam sustentar a si mesmos e a outros? Isso seria Negócioscomo Verdadeira Religião.

3. Os Negócios como Shalom:

Shalom é um conceito bíblico dos relacionamentos bons e harmoniosos. Mas relacionamentos foram danificados e quebrados através da queda como está descrito 16 em Genesis no capítulo 3.

Através de Cristo há um meio de restaurar o relacionamento com Deus, com o próximo, e com a criação.

Os Negócios baseiam-se muito em relacionamentos, com a equipe, colegas de trabalho, companheiros, fregueses, clientes, fornecedores, família, comunidade, autoridades fiscais, e demais. Como podemos como cristãos em negócios lutar pelo Shalom; Os Negócios como Shalom?

4. Os Negócios como Mordomia:

Cada ser humano tem sido capacitado com dons e talentos. Em negócios falamos sobre recursos. Mordomia é outro importante conceito bíblico.

Como podemos usar o que temos para servir?

O que significa mordomia quando possuímos e/ ou administramos um negócio? Deus tem dado a algumas pessoas forte dons de empreendor.

Eles podem ser usados para Deus e para o bem comum dos negócios. É o mesmo que dons gerenciais ou dons de contabilidade ou vendas. Devemos encorajar pessoas com habilidade para negócios a serem bons mordomos –Negócios como Mordomia.

5. Os Negócios como Liderança-Serva:

Jesus veio para servir. Ele foi um exemplo de liderança boa e divina. Muitos livros foram escritos neste tema e indicam a importância desta conceito de liderança serva.

Fazer negócios como para o Senhor significa que nós também exploramos o que liderança serva significa no contexto dos negócios. Não é uma forma simples ou um método igual a outros. Mas a chave do princípio subjacente é servir pessoas, comunidades, nações, e Deus. Nós somos frequentemente lembrados sobre a falta de boa liderança em negócios mundiais. Negócios como Liderança Servaé mais do que necessário.

6. Os Negócios como Dignidade Humana:

Cada pessoa nesse planeta foi criada à imagem de Deus. Todos nós temos valor e dignidade ligados ao Criador. Ele nos criou para sermos criativos, e criar coisas boas para outros e para nós mesmos.

Criar é algo profundamente humano e divino; é uma parte intrínsecada dignidade humana.

“Dar emprego às pessoas é um ato divino.”

Este processo de criatividade, e desta maneira, de dignidade humana, tem sido parcialmente quebrado, mas há poder para restauração através de Jesus Cristo.

Estar desempregado não éum pecado, mas a falta de emprego e a ncapacidade de trabalhar e sustentar a si mesmo e a família, é uma consequência da queda. É uma perda da dignidade humana. Colocar as pessoas pra trabalhar, prover serviços com dignidade é um ato divino –isto é Negócios como Dignidade Humana.

7. Os Negócios como Reconciliação:

O apóstolo Paulo escreve que nós somos agentes de reconciliação. Relacionamentos quebrados e conflitos são comuns, até mesmo no mercado de trabalho. Nós também testemunhamos a tensão e a violência entre grupos étnicos e religiosos.

Os negócios podem prover um fórum para reconciliação? As pessoas de negócios podem intermediar divisões étnicas e religiosas?Existe uma longa e muitas vezes violenta história de desconfiança e tensão severa entre muçulmanos e cristãos na Indonésia.

Mas eu já em primeira mão como empresários cristãos chineses na Indonésia têm mudado a dinâmica inter-étnica e transformado relacionamentos interreligiosos por meio fazer negócios intencionalmente como justiça, mordomia, shalom, liderançaserva e demais. Este capítulo iniciou-se com uma história ou estudo de caso. Como embaixadores de Deus, podemos ser pessoas de negócios em missões para fazer Negócios como Reconciliação.

8. Os Negócios como Cuidado com a Criação:

Durante os dias da criação Deus fez uma avaliação diária; Ele exerceu um controle de qualidade nos produtos produzidos. Seu veredito foi “estes são bons”. Ele também nos tem confiado o sermos mordomos da criação. Como Deus, nós podemos nos alegrar em sermos criativos na arena física e produzir produtos e serviços que são bons para pessoas e a criação.

Este é o primeiro mandamento bíblico que temos –ser criativos e trabalhar, também nos negócios mundiais.A importância de negócios conscientes com o meio ambiente estão incluídos na linha básica tripla, buscando ter um impacto positivo economicamente, socialmente e ambientalmente. Lucro, pessoa, planeta.

Na visita ao sul da Ásia em 2012,eu conheci um casal que está trabalhando como consultor administrativo para grandes empresas de fabricação. Este casal tinha uma clara missão BAM, e foram capazes de ajudar estas empresas a se tornarem mais lucrativas, melhorar as condições de trabalho, economizar energia e limpar enormes quantidades de água. O acesso à água limpa e sua preservação são um dos maiores desafios que enfrentamos mundialmente. Os Negócios como Cuidado com a Criaçãoé essencial.

9. Os Negócios como Amor ao seu Próximo:

O segundo mandamento nas Escrituras é o grande mandamento e inclui o “amar seupróximo como a si mesmo”. Nós sabemos que os negócios podem e deveriam servir pessoas e suprir várias necessidades. Por exemplo: o desemprego é uma das maiores causas determinantes de desnutrição e fome, desabrigados, tráfico humano, doenças e acesso limitado a tratamento médico, como também dívida e crime. Prover emprego a pessoas é algo que traz alívio e prevenção dessas condições terríveis. A administração dos recursos humanos (um termo que parece impessoal e técnico pra mim) deveria ser uma expressão de amor ao seu próximo. Levar em consideração o ambiente físico de nosso próximo enquanto administramos os negócios também é uma parte desta responsabilidade.

RSC (Responsabilidade Social Corporativa) não é portanto uma coisa nova; está baseado em princípios bíblicos.Nós também podemos estudar e aprender da história.

Por exemplo, os Quakers na Inglaterra e Hans Nielsen Hauge na Noruega foram agentes de transformação holística através dos negócios há alguns séculos atrás. Ele fizeram negócios como Amor ao Seu Próximo.

10. Os Negócios como Grande Comissão:

O terceiro mandamento bíblico é a impulsão centrífuga global: para todos os povos, todas as nações. Este é o maior tema no movimento global BAM.

Como podemos servir em e através dos negócios, no poder do Espirito Santo, “em Jerusalém, e em toda Judeia e Samaria, e até os confins da terra”?

BAM é ser seguidor de Jesus, em negócios e para o mundo inteiro, especialmente em áreas com terríveis necessidades econômicas, sociais e espirituais. Este é o RSC+ e esta dimensão não é opcional. Nós queremos ver o Reino de Deus demonstrado entre todos os povos. Isto é Negócios como Grande Comissão.

11. Os Negócios como Corpo de Cristo:

Deus chama e equipa algumas pessoas para os negócios. Nós precisamos afirmar e encorajar pessoas de negócios a exercer seus chamados com profissionalismo, excelência e integridade. Martin Lutero coloca isso da seguinte forma:

“Um sapateiro, um ferreiro, um fazendeiro, cada um tem seu trabalho e função em seu comércio, e eles são todos consagrados sacerdotes e bispos, ecada um por meio de seu próprio trabalho ou função deve beneficiar e servir o outro, para que desta maneira muitos tipos de trabalho possam ser feito para o bem-estar corporativo e espiritual da comunidade, assim como os membros do corpo servem um ao outro.” 12. Os Negócios como Glorificação a Deus:

BAM é o acróstico para Negócios como Missão. Outro acróstico relevante é AMDG. A maior base de Negócios como Missãoé AMDG –ad maiorem Dei gloriam–para a glória maior de Deus.

12. Os Negócios como Glorificação a Deus:

BAM é o acróstico para Negócios como Missão. Outro acróstico relevante é AMDG. A maior base de Negócios como Missãoé AMDG –ad maiorem Dei gloriam–para a glória maior de Deus.


Fonte: www.matstunehag.com

Ler matéria completa
Indicados para você