[ editar artigo]

BAM vs. COVID

BAM vs. COVID

Parafraseando Sun Tzu, podemos vencer todas as batalhas se conhecermos nosso inimigo e nos conhecermos. Mas o que acontece quando não conhecemos bem o nosso inimigo? COVID-19 é um exemplo disso. Os "fatos" são abstratos e mudam constantemente. Nós realmente não "sabemos" o que achamos que sabemos!

Uma coisa que sabemos é que estamos em uma batalha contra um assassino, e é real. De uma forma ou de outra, o COVID-19 está matando pessoas, empregos e economias. Outra coisa que sabemos é que o BAM está especialmente bem posicionado para ajudar agora no meio da batalha e ajudar mais tarde nas consequências. Como os BAMers deveriam responder agora? Com base no que nós sabemos. O BAM pode ajudar a derrotar o COVID se tivermos o foco, a postura e as práticas corretas.

O BAM pode ajudar a derrotar o COVID se tivermos o foco, a postura e as práticas corretas.

FOCO

Precisamos olhar para Deus e olhar para a história primeiro, e depois olhar em volta e à frente.

Olhe Para Cima (para Deus)

COVID-19 não é uma surpresa para Deus. Não há vírus trapaceiros. Ele está no controle. Ele criou o COVID-19 e é o SENHOR sobre ele. Deus utiliza o COVID-19 para o bem comum, o bem específico de Seus filhos e Sua glória. (Ver Gênesis 50:20 e Rom. 8:28.) E Jó, com autoridade, nos assegura que Deus “pode fazer todas as coisas; nenhum propósito seu pode ser frustrado ”(42: 2). (Veja mais sobre isso aqui: https://youtu.be/zsOAM4qEoDs.)

Alegre-se nisso, descanse nele e tome uma atitude por conta disso!

Olhe Para Trás (na História)

Sempre houve pragas e pandemias. É instrutivo lembrar como os cristãos da igreja primitiva reagiram em situações ainda piores que a nossa. Em O Triunfo do Cristianismo, Rodney Stark nos lembra que, durante as duas grandes pragas de 165 e 251 dC, o “princípio verdadeiramente revolucionário” que levou os membros da igreja primitiva a responder sacrificialmente, até ao ponto da morte, era “amor cristão e caridade”. A igreja primitiva compreendeu o ágape - amor sacrificial - e viveu isso. Enquanto um terço do Império Romano estava perecendo, e os médicos fugiam das cidades e sacerdotes abandonavam seus templos, os verdadeiros “Cristãos declaravam ter respostas e, acima de tudo, tomavam as medidas apropriadas.”

Olhe Ao Redor (para Necessidades)

Cristãos - todos nós - devemos examinar as necessidades imediatas e tomar as medidas apropriadas para vencer a batalha contra o COVID. Essas ações são geralmente muito simples e relacionadas tanto à maneira como nos comportamos (cumprindo as regras e diretrizes geralmente aplicáveis ​​relativas à COVID, por exemplo), quanto à forma como cuidamos das pessoas ao nosso redor (como o sacerdote no norte da Itália que praticou o ágape, abrindo mão do seu respirador em prol de um paciente mais jovem, e morrendo como o resultado).

Os BAMers têm um papel muito específico e especial a desempenhar na batalha contra a COVID.

Mas os BAMers têm um papel muito específico e especial a desempenhar na batalha contra a COVID, no momento. A analogia de assistência e desenvolvimento é aplicável aqui. Imediatamente após um desastre natural, respondemos com ajuda humanitária. Mais tarde, investimos no desenvolvimento. No momento, os BAMers podem responder colocando os seus "chapéus de assistência", procurando as necessidades imediatas que podem conhecer. Isso pode variar de sofrer uma perda financeira por não demitir ou desligar pessoas, a refazer a força de trabalho e/ ou reequipar uma fábrica para produzir equipamentos de proteção individual.

Olhe Para a Frente (para Oportunidades)

Uma vez que avançamos para a fase de “desenvolvimento” pós COVID-19 (em alguns aspectos, já a temos), a criação de empregos e a reconstrução das economias locais se tornam uma grande prioridade para os BAMers, reais e aspirantes. A crise do COVID está acelerando a história e remodelando indústrias de maneiras que não estavam previstas, ou estavam apenas aparecendo lá no horizonte.

Estou ativamente engajado na educação e ensino on-line em várias universidades e, para elas, muito pouco mudou. As universidades cujo seu pão diário é a educação presencial, por outro lado, acabaram de perder uma década em seu caminho em relação a educação à distância. O que estava nas "listas de coisas a fazer" em 2030, tornou-se uma prioridade para 2020. A maioria se atrapalhou. Alguns foram bem, outros não. E isso é apenas um setor. Comércio online; transporte e viagens; o setor de energia; entretenimento... literalmente não há setor que não tenha sido impactado. Ninguém foi à prova de balas.

Essa turbulência, no entanto, deve ser vista como oportunidades para o BAM. Afinal, muitos de nós somos empreendedores, certo? O que acontece quando colocamos nossos "chapéus criativos e inovadores"? Melhor: Oque acontece quando aqueles que são criados à imagem de Deus colocam em ação os aspectos criativos dessa imagem? Rodney Stark, em Para a Glória de Deus, argumenta que isso resulta em um florescimento da ciência, da tecnologia e da inovação. Temos a chance de moldar o "novo normal", identificando oportunidades que outros não, ou antes de outros fazerem, trazendo-os à vida para o bem comum pós-COVID-19 e a glória de Deus.

POSTURA

Lembra do amor ágape que mencionei acima? Como um BAMer coloca o ágape em ação através dos negócios? Qual deve ser a postura deles?

Poderíamos falar sobre o ágape novamente, ou ser um servo semelhante a Cristo (Filipenses 2: 3-5), ou de dependência total à Deus, mas essas questões se relacionam com todos os cristãos, em geral, e a pergunta aqui se refere aos BAMers, em particular. O que há de diferente em nós?

Quando Deus olha para os BAMers, que são criados à Sua imagem, o que Ele vê que é, em muitos casos, diferente da vida de outros crentes? A resposta está relacionada ao fato de muitos BAMers serem, por natureza, empreendedores e/ ou inovadores. Eles olham ao redor e veem coisas que outras pessoas não veem. Todos podem ver o problema do COVID-19, mas poucos vêem soluções. Todos podem combater o COVID-19, mas os BAMers podem fazer isso de maneira específica.

Essa é a postura de um BAMer: Eu sou um solucionador de problemas. Fui criado à imagem de Deus para inovar e apresentar soluções que não ocorrem a outras pessoas.

E essa é a postura de um BAMer: “Eu sou um solucionador de problemas. Fui criado à imagem de Deus para inovar e apresentar soluções que não ocorrem a outras pessoas.” Ou “eu sou um empreendedor. Vejo soluções que outras pessoas também podem ver, mas não estão dispostas a correr o risco de torná-las em realidade, e eu estou.”

No mês passado, eu tive contato com várias empresas excelentes de BAM e BAMers com as posturas certas, colocando o ágape em prática através dos negócios. Quero falar sobre três deles, dois dos quais estou intimamente associado.

PRÁTICA

Começarei com Mike Lindell e sua empresa, com sede nos EUA, chamada My Pillow. Não conheço Lindell pessoalmente, mas pelo que sei, My Pillow não é tecnicamente BAM. Provavelmente se enquadra na categoria de Empresa do Reino. Lindell é sincero sobre sua fé cristã, e isso parece guiá-lo à respeito de como ele administra seus negócios. Ele é um exemplo de homem de negócios e empresário cristão disposto a entrar na batalha contra oCOVID-19 imediatamente, mesmo que traga custos para os seus negócios: Ele recentemente transferiu 75% de sua capacidade de fabricação para a produção de máscaras médicas, produzindo 50.000 por dia! Ele olhou a sua volta, viu a necessidade, confiou em Deus e entrou na batalha com os recursos à sua disposição. Por que não tomar um minuto para fazer a mesma coisa? Olhar em volta. Talvez Deus lhe mostrará como entrar na batalha contra o COVID-19 com os recursos dos quais você já administra.

A Goodies Bakery, aqui no Brasil, é outro grande exemplo de criatividade em ação na batalha BAM vs. COVID-19. Você leu corretamente, é uma confeitaria. As donas, duas irmãs, são criativas empreendedoras, que assumem riscos empresariais, mas que amam o Senhor e construíram um negócio que é conhecido pela excelência em tudo, desde a estética de suas sete lojas até a qualidade de seus cupcakes. Mas, como outros negócios semelhantes, elas têm sofrido nas últimas seis semanas.

Para evitar um grande número de demissões, eles imediatamente fizeram algumas ações. Primeiro, elas enfatizaram seus negócios de delivery. Segundo, elas se concentraram em coisas que as pessoas provavelmente desejariam/precisariam durante a crise econômica, por exemplo, salgados para a janta. Terceiro, elas jogaram com seus pontos fortes. Por exemplo, aqui no Brasil durante a Páscoa, é comum os supermercados venderem enormes ovos de chocolate. No entanto, muitas pessoas os consideram supérfluos, e as vendas caíram tanto que muitossupermercados devolveram todos os seus ovos aos fabricantes antes mesmo da chegada da Páscoa. As “garotas goodies” (como as chamamos carinhosamente) viram uma oportunidade de manter a sua equipe ocupada - e, de fato, de contratar uma equipe temporária - preenchendo um vazio. Seus ovos de Páscoa artesanais de chocolate são, felizmente, trabalhosos, e as meninas correram o risco de comercializar os ovos numa oportunidade comercial, e o resultado foi que, em vez de uma queda esperada de 50% nas vendas, elas tiveram um aumento de 50% nas vendas. Elas assumiram um risco, mantiveram alguns empregos, recriaram empregos adicionais e preencheram um vazio comercial, adicionando um toque de alegria e doçura a muitas vidas, em nome de Cristo, como resultado.

Se você está pensando: "Bem, tudo bem, mas são apenas cupcakes", então é bom! Isso significa que tudo o que você "apenas" faz pode ser capaz de ser feito de alguma maneira criativa... ou você pode fazer mais do que isso, ou uma versão modificada, ou ... o que for ... como um BAMer na batalha contra o COVID-19. Apenas olhe em volta ... pense nisso ... peça a Deus algumas dicas. Você pode se surpreender com o que Ele te mostra. Como dizemos no Brasil, provavelmente não será um monstro de sete cabeças!

Na batalha contra o COVID-19, olhe em volta ... e peça a Deus algumas dicas. Você pode se surpreender com o que Ele te mostra!

Termino com o exemplo da LivFul, uma empresa internacional de BAM com uma presença crescente no Brasil. Eles são guiados por uma visão do livro de Isaías 61 (e Lucas 4) “de proclamar boas novas aos pobres ... de restaurar os de coração partido, de proclamar liberdade aos cativos e de libertar-se da escuridão pelos prisioneiros, [e] de proclamar o período do favor do Senhor.” Uma das maneiras que eles fazem isso é produzindo repelente de insetos de classe universal (e de melhor qualidade!). Isso por si só ja é o suficiente para salvar milhares, senão milhões, de vidas anualmente. Mas e agora, no meio de uma pandemia global que não está relacionada a mosquitos e outros insetos? A LivFul imediatamente se mobilizou, por meio de uma parceria de empresas com outra BAM, para oferecer EPIs (equipamentos de proteção individual), como máscaras e kits de testes rápidos a governos, hospitais e ONGs, em preços baixos. De bom grado, abandonaram parte de seus resultados financeiros em favor dos resultados sociais e espirituais. Eles olharam em volta, viram uma oportunidade no meio da necessidade e entraram em ação.

Olhe para cima, olhe para trás, olhe em volta e olhe para frente. Deus lhe dará idéias e foco, e quando Ele fizer,coloque isso em prática, com a postura de um inovador impulsionado pelo amor ágape... criador ... empreendedor. Em uma batalha entre BAM vs. COVID-19, que Deus lhe dê sabedoria e favor.

 

© 2020, João Mordomo

BAM Global
Joao Mordomo
Joao Mordomo Seguir

A minha paixão é ver Cristo exaltado em todas as areas da vida, todas as esferas da sociedade, e todos os povos do mundo!

Ler matéria completa
Indicados para você