Negócios também são cultura

O Livro de Neemias é o relato da reconstrução de uma cidade, sobretudo de seu povo. Após 12 anos como governador na Judeia, Neemias e os habitantes de Judá realizaram reformas que deixaram nítido que o resultado dessa grande obra foi muito mais que as muralhas erguidas milagrosamente. Foi uma verdadeira reconstrução social, um resgate da cultura e investimento em pessoas, mais do que em estruturas. Isso me faz pensar em como nossos negócios se relacionam com a cidade, visto que ela foi feita para os seus cidadãos e não para as grandes construções e realizações. Em outras palavras, a cidade deve ser um lugar de desenvolvimento de pessoas e comunidades, não de projetos cujos escopos valorizam estruturas em detrimento de pessoas. 


Gerar, promover, resgatar e sustentar a cultura é um dos mais significativos impactos que uma empresa pode causar na sociedade. Inclusive, quanto mais uma marca “conversa” com a cultura do público, mais ela terá sucesso em se perpetuar no mercado. Há aquelas que emplacam novos hábitos que, posteriormente, se tornam parte da cultura. Basta que as marcas de fast food, por exemplo, deixarem de existir, e a ida ao shopping na correria cotidiana de uma capital pode perder o sentido para os apressados da hora do almoço. 


Talvez desconheçamos o potencial que nossos negócios têm, de gerar e influenciar a cultura local, mas a verdade é que ela é um resultado inevitável em qualquer lugar que haja humanos convivendo, se expressando, negociando, se desenvolvendo. Deste modo, produzir cultura não é exclusivo à esfera artística. Surpreendentemente, tem muito mais a ver com negócios que com arte. 


Basta pensar nos impactos socioculturais e ambientais da Revolução Industrial, que perduram até hoje. É disso que se trata a proposta BAM, que através dos 4 Pilares resgata a responsabilidade do mandato cultural e orienta os nossos negócios no cumprimento da Missão de Deus, de restaurar todas as coisas. E isto faremos se o Senhor nos ajudar e se nos envolvermos genuinamente com a cidade.


Perguntas para reflexão:

 1) Que tipo de influência o meu negócio tem gerado na cultura local? 

2) Quais ações posso tomar para provocar um impacto positivo na cultura do local onde estou atuando?