O exemplo precede o engajamento “As pessoas não seguem o líder, elas seguem a visão dele

A frase de Myles Munroe é verdadeira, mas incompleta. Respeitosamente, acrescento que o exemplo do líder é imprescindível para conectar sua visão aos que ele pretende mobilizar. Neemias guardou os planos em seu coração durante todo o período em que percorreu as muralhas e portas da cidade, para analisar os estragos e perceber as reais circunstâncias que estava para encarar. 


Em seguida, chamou os líderes judeus e, contando como Deus lhe fora favorável diante do rei Artaxerxes, que não só consentiu com a reconstrução, mas também concedeu recursos para a restauração das portas da cidade, os encorajou a iniciar a obra. Toda visão tem um potencial mobilizador, mas esse potencial deixa de ser hipótese para se tornar realidade quando a visão corresponde à narrativa daqueles a que pretendemos mobilizar.


 Isto se aplica tanto a uma narrativa descolada da realidade quanto a uma que possua, no chão sólido da verdade, o fundamento. É justamente aí que se justifica o fato de o exemplo do líder ser um fator indispensável no processo de engajamento de seus liderados. Neemias não contou a ninguém sobre seus planos, até que estivesse totalmente imerso na realidade dos habitantes de Judá. E quando o fez, o testemunho do grande risco que correu para estar ali demonstrou seu comprometimento com a causa. Seu exemplo foi fundamental para trazer ânimo a homens que, há muito tempo, viviam em estado de desolação e vergonha.


Perguntas para reflexão: 1) Tenho uma visão clara a respeito do meu negócio? 2) Em que aspectos identifico a influência do meu exemplo aos meus colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros, engajando-os na visão do meu negócio?